sábado, abril 22, 2006

«Mantenham a mente aberta, assim como a capacidade de se preocupar com a humanidade e a consciência de fazer parte dela.»

Dalai-Lama

domingo, abril 16, 2006

Clube Bilderberg

«... um grupo restrito dos homens mais ricos, mais poderosos económica e politicamnete e mais influentes do mundo ocidental, que se reúnem secretamente para planear acontecimentos que, mais tarde, parecem acontecer por acaso.»

The Times, de Londres, 1997

«É difícil reeducar as pessoas que cresceram no nacionalismo para a ideia de renunciarem a parte da sua soberania em favor de um orgão supranacional.»

Príncipe Bernhard, fundador de Bilberberg
«É na experiência da vida que o homem evolui»

Harvey Spencer Lewis

terça-feira, abril 04, 2006

«As Almas humanas que não possuem a Inteligência como guia encontram-se no mesmo estado dos animais irracionais. A Inteligência as abandona às paixões que com o engodo do desejo as arrastam para o irracional, do mesmo modo que o instinto irreflexivo dos animais.

Contra este transbordamento do mal, Deus criou um dique, um castigo, que é a Lei».

Hermes Trimegisto
«Lei é Lei: a ignorância da Lei não exclui seu cumprimento. O pior pecado é a ignorância. Ensinar ao que não sabe é obra de mesericórdia...»

Samael Aun Weor
«A Justiça é a rainha das virtudes e nasce em nós quando o Eu é dissolvido radicalmente...»

Samael Aun Weor

sábado, abril 01, 2006

CABALA: O QUE É AFINAL?

A Cabala é geralmente considerada uma doutrina mística da religião judaica. Na realidade, ela é mais do que isso: seu pensamento, extremamente rico, não se enquadra num sistema filosófico ou religioso, não tem nada de dogmático.

De acordo com a tradição judaica, historicamente a Cabala teria surgido da seguinte forma: "Moisés recebeu a Tora (o Ensinamento, a Lei) sobre o Monte Sinai; ele transmitiu a Josué, que por sua vez a remeteu aos profetas e estes últimos a transmitiram aos membros da Grande Sinagoga.

A Cabala, entretanto, segundo os estudiosos, ultrapassa em antiguidade, a Revelação Judaica. Ela remonta aos tempos pré-históricos. Moisés a teria introduzido na história de Israel. A Cabala transpôs os limites de uma mística religiosa, para ser mais bem compreendida como uma tradição esotérica.

O Ocultismo é o estudo do espirito e da matéria, de Deus e da humanidade, das origens e do Destino. É a verdadeira ciência da vida. Não há nenhum dogma no ocultismo, mas há um certo número de hipóteses, como em qualquer ciência. Os Ocultistas, julgam que "nada existe sem um propósito" ; eles argumentam que deve haver um " Plano Superior" para a criação e evolução do Universo, que abrange as galáxias e os sistemas solares, os sóis e os planetas, os átomos e as plantas, os animais e toda a humanidade.

Dentro deste Plano Superior estão os incontáveis Planos Secundários de toda a Criação, cada qual entrelaçado e inter-relacionado num todo orgânico.

Todo o ocultista, conhece as Leis de Hermes Trismegisto, ou Leis Herméticas. São estas Leis que foram encontradas escritas nas famosas tábuas esmeraldinas, nas Pirâmides do Egito, e nada mais são do que leis que actualmente a física tradicional somente confirma. Elas explicam as regras que regem toda a criação, e são os preceitos que auxiliam todo o ocultista no caminho da Verdade.

Uma dessas Leis é a LEI DO KARMA, ou Lei de Causa e Efeito. Assim diz o Caibalion "Toda Causa tem seu Efeito; todo Efeito tem sua Causa; todas as coisas acontecem de acordo com a Lei; o Acaso é simplesmente um nome dado a uma Lei não reconhecida; existem muitos planos de causalidade, mas nada escapa à Lei" * Toda a acção física, ou acção mental (pensamento), retorna ao seu ponto de origem, como um bumerangue. A evolução prossegue sempre sob esta lei, e a experiência física (a re-encarnação) é apenas uma pequena parte dela.

Para entendermos este principio de evolução , esta Lei que rege todo o Mundo visível e invisível, é que devemos estudar o que os judeus chamam de 'Cabala" ou a "Arvore da Vida" ou Kabalah (Qabalah).

Na tradição ocultista ocidental usamos um glifo, (que nada mais é que um conjunto de símbolos) representativos desta Árvore, e seu estudo prático, a meditação em seus símbolos e também o trabalho oculto prático (magia) proporciona ao estudante compreensão sobre esta Lei, e todas as outras Leis Herméticas (Caibalion).

Muitos destes símbolos usados são Arquétipos, isto é, "conjuntos de símbolos" que foram definidos pelo psicólogo alemão Gustav Jung, como sendo a fonte que a nossa mente utiliza para chegar a uma definição, e que é comum a todo o gênero humano. Estes arquétipos são atemporais, e remontam à mais antiga memória da humanidade.

A Cabala (Qabalah) é indispensável ao Mago, e todo o Mago é Cabalista. A Magia é a arte de aplicar causas naturais para provocar efeitos surpreendentes. Existem dois caminhos para efetuar esta Magia, uma é a oriental Yoga, que, fazendo o vazio na mente, através da meditação e outras práticas físicas, procura alcançar a iluminação e a união com Deus. É uma fórmula mais passiva, e principalmente, subjetiva, que necessita de uma prática às vezes difícil para um ocidental.

No ocidente o Mago, mesmo pedindo ajuda a Yoga, utiliza o conhecimento das Sete Leis Herméticas aplicadas ao conhecimento da Cabala. Desta forma ele pode ter o controle sobre sua própria natureza, controlando cada elemento do seu corpo físico pelo exercício da Vontade.

O Mago faz este caminho, quando se sente seguro para exercer este domínio, através da Luz Astral. E deve fazê-lo, principalmente por 3 motivos:

- na Luz Astral ele vai encontrar um reflexo exato de si mesmo, do seu Self, em todas as suas partes e qualidades e atribuições, e um exame deste reflexo, tende naturalmente a um "autoconhecimento".

- a definição de Luz Astral, do ponto de vista da Magia é bastante vasto e encontra-se no Mundo de Azoth, Mundo que é compreendido entre o mundo físico e o mundo espiritual. Por isto a Luz Astral é uma "ponte" entre os dois mundos.

- antes de transpor esta porção do mundo invisível, deve ser conhecido e dominado cada aspecto. O Mago, deve submeter à sua vontade todos os elementos de uma esfera ( Sephira) que lhe obedecerão de maneira inequivocável, porque no Mundo Real, os símbolos são representações arbitrárias de uma experiência ordinária, mas no Mundo Astral, estes símbolos assumem uma existência real, uma realidade tangível, e por isso são da maior importância.

As Evocações e Invocações então não são feitas pelos magos por curiosidade, mas com o único objetivo de trazer estas facetas ocultas (símbolos) para a sua consciência para, com sua Vontade, exercer o seu Domínio
.
A palavra Qabalah (Kabalah ou Cabala) vem do hebraico QBL, CABAL que significa (segundo alguns) "receber". Assim a Qabalah seria "Aquilo que foi recebido".

Dizem que os Rabinos a receberam dos Anjos, dizem que Moisés a recebeu de Deus, mas sua semelhança com o Zend Avest de Zoroastro indica que os Judeus podem ter recebido seus princípios da mesma fonte que inspirou Zoroastro. Otz Chiim, ou a Árvore da Vida, é na verdade a Árvore do Bem e do Mal, a Árvore do Conhecimento, citada no Antigo Testamento. Ela é conhecida também como Escada de Jacób.