sexta-feira, março 17, 2006

PODERÁ O HOMEM TER EXISTIDO À 2 MILHÕES DE ANOS NO CONTINENTE AMERICANO?

Às vezes acontecem coisas na nossa vida sem saber como nem porquê, e, na maioria das vezes, nem paramos para nos questionar sobre o acontecido. O facto é que certas “coisas” acontecem, e, talvez algo ou alguém, esteja querendo nos dizer alguma coisa...
Em 1966, um mineiro foi protagonista de um espetacular descobrimento. Na região das trilhas de Nevado de Cachi, na província argentina de Salta, Ricardo Liendro caminhava com sua mula, quando notou uma estranha rocha. Alguma “coisa” o impeliu a pegar a rocha em suas mãos.
Quando a examinava, esta escorregou por entre seus dedos, caindo no chão. Partiu-se em duas metades, e de seu interior, surgiu uma figura em pedra, com notável semelhança com um feto humano.
Após ser submetida a diversos médicos especialistas, chegou-se a mesma conclusão: tratava-se realmente de um feto humano, porém, petrificado.
Em outras palavras, um feto cuja idade podia oscilar pelos dois milhões de anos. Como seria possível?
Segundo a paleontologia, o aparecimento do homem na América, recuava a uns quarenta mil anos no máximo (idade considerada por alguns paleontólogos).
O feto, tinha idade aproximada de uns quatro ou cinco meses. Se estamos realmente diante de um feto petrificado, com uma antiguidade aproximada de dois milhões de anos, que conclusões podemos tirar?

Sem comentários: